IRON BUTT 

MINHAS CERTIFICAÇÕES

Registro nº 33.135
www.MAZZO.net.br
Como Fazer uma Prova de Iron Butt

Todas as informações necessárias e oficiais para fazer qualquer modalidade de uma prova de Iron Butt, você pode pesquisar diretamente no site da IBA (Iron Butt Association). O que eu estou apresentando abaixo, são apenas algumas informações baseadas nas experiências das provas que eu já fiz e recebi as certificações.

Projeto

Boa parte do sucesso para realizar um Iron Butt é um projeto bem feito. Comece programando a rota que deseja fazer. Procure estradas que você já conheça e que você consiga manter uma boa velocidade. Melhor são as pistas duplicadas e com poucas curvas, para não perder tempo com ultrapassagens ou trânsito intenso. A IBA recomenda não fazer roteiros de ida e volta pelo mesmo caminho, pois a comprovação pode gerar desconfiança por parte dos certificadores. Se você pretende fazer um roteiro que chegue no mesmo ponto de saída, procure montar uma rota próxima a um círculo ou qualquer figura geométrica. Se possível, inicie numa cidade e termine em outra bem distante, formando quase uma linha reta. Se você fizer um roteiro para sair de uma cidade, chegar em outra com uma distância inferior à quilometragem necessária, você terá que fazer alguns desvios e, se estes desvios implicarem na formação de um vértice no decorrer da rota, abasteça num posto bem próximo a este vértice, assim você comprova que foi até aquele ponto e não "pegou atalho" para reduzir a distância.

Evite ida e volta pelo
mesmo caminho
Abasteça nos vértices
do roteiro
Prefira roteiro
contínuo ou circular

Outra recomendação da IBA, é ter uma margem de segurança acima do necessário. Se for fazer um SS1000 (1.000 milhas em 24 horas), que dá 1.609 kms, considere percorrer no mínimo 1.700 kms antes de parar, pois devido as diferenças dos tamanhos dos pneus das motocicletas, podem haver variações nas quilometragens. Se estiver percorrendo o trecho com um GPS, você poderá contabilizar a distância do GPS, pois ele mede a distância real percorrida na esfera terrestre, independente do tamanho do veículo, rodas, pneus, etc. Só para ter uma idéia, no meu SS3000 feito de 21 a 24 de abril de 2.010, enquanto o GPS marcou 4.856 kms no final da prova, o odômetro da moto apresentava 5.126 kms rodados.

Horário de Saída

O horário de saída deve ser definido baseado numa série de variáveis, tudo vai depender do projeto e das estradas que serão percorridas. Eu já fiz certificações saindo 21 horas, meia-noite, meio-dia, etc. Avalie o seu projeto e programe para passar a noite nas estradas que tem melhores condições de tráfego, ou sejam duplicadas ou que você já conheça, deixando as estradas piores ou desconhecidas para passar de dia. Ou seja, baseado no projeto você deve estimar onde deverá estar em cada horário, com isso você programa se quer passar naquele trecho de dia ou a noite e define o horário de saída. Lembre-se também de programar as estradas e os sentidos que você passará nela com base na localização do sol. Evite trafegar com o sol na sua cara, principalmente no início da manhã ou no final da tarde, pois isso poderá te dar muito sono e uma sensação de maior cansaço.

Como começar

Convide um amigo para ser sua testemunha e estar no posto onde você vai largar. Sim, no posto, porque irá valer o horário de saída a mesma hora que estiver no cupom fiscal do abastecimento. Se você programou para sair ao meio-dia, por mais que você chegue e abasteça antes, deixe para tirar o cupom fiscal minutos antes da largada. O seu amigo não precisará fazer nada neste momento, somente testemunhar e assinar o documento de testemunha quando você for encaminhar para a IBA.

Durante a prova

Carregue contigo uma planilha em branco para preencher durante todo o percurso em todas as paradas e uma caneta ou lápis. Coloque esta planilha dentro de um saco plástico para proteger da chuva e deixe em um local de fácil acesso. Leve também outro saco plástico para guardar os cupons fiscais dos abastecimentos. Eu costumo colocá-los em um saco plástico tipo Ziploc, para ficar bem vedado.

Sempre que você parar para abastecer ou por mais de 15 minutos em qualquer lugar, você deve preencher a planilha com todas as informações daquele ponto. Em geral, as paradas são sempre nos postos de combustíveis, onde você irá abastecer, ir ao banheiro, fazer as refeições, etc. Se você precisar parar em qualquer lugar por algum outro motivo, preencha a planilha com as informações do local, data, hora e o motivo da parada. Se for demorar em algum posto mais que o tempo normal de abastecimento, não faz diferença abastecer na chegada ou na saída, o que importa é que o cupom fiscal esteja mostrando um horário compreendido entre o horário de chegada e saída. Se o cupom fiscal apresentar uma data e/ou horário errado, o que é comum no Brasil, principalmente nos horários de verão ou estados que tem fuso horário diferente de Brasília, anote no verso a informação correta colocando: CORRECT DATE 99/99/9999 e CORRECT TIME 99:99 hs e peça ao funcionário do posto para assinar e carimbar embaixo. Um ou outro comprovante pode estar com horário errado e você corrigir no verso, o que não pode é todos eles estarem errados, senão poderá gerar desconfiança por parte dos certificadores. Se eles tiverem qualquer desconfiança, poderão telefonar para os postos e testemunhas buscando maiores esclarecimentos e, mesmo assim, não acreditar. Eu prefiro parar para abastecer em postos médios. Os postos muito grandes tomam bastante tempo, porque geralmente tem muitas pessoas abastecendo e o local para pagamento é distante da bomba. Os pequenos demais podem não ter cupom fiscal eletrônico e emitir notas fiscais manuais, neste caso é necessário escrever a data e hora correta.

Final da prova

Assim que você completar a quilometragem necessária para a certificação, já com uma margem maior de segurança, pare num posto e abasteça, pois este último cupom fiscal de abastecimento valerá como local, data e hora do término da prova. Você também precisará de uma testemunha de chegada que irá assinar um documento comprovando que você esteve naquele posto naquele dia e hora. Eu procuro programar o final da prova em alguma cidade onde tenha um conhecido para ele ser a minha testemunha oficial.

Supondo que você termine a prova (+ ou - 1.700 kms) a uns 100 kms antes do local combinado com a testemunha. Assim que completar os 1.700 kms, pare, abasteça para comprovar o término e continue até o local de encontro com a testemunha. Mesmo que você ultrapasse as 24 horas para percorrer estes últimos 100 kms para o encontro com a testemunha, é importante ter abastecido dentro do prazo necessário para a comprovação do tempo e quilometragem.

Custo

É simples você calcular quanto irá gastar para fazer uma prova de Iron Butt. Se for fazer um SS1000, divida os 1.700 kms pela média de quilometragem que sua moto faz para saber quantos litros de combustível vai gastar. Multiplique este valor pelo valor médio do litro de combustível e terá o custo total gasto com os abastecimentos. Some os valores dos pedágios, alimentação e mais alguns gastos extras. Não esqueça de prever as despesas com uma eventual necessidade de mecânico, guincho, borracheiro, etc. A certificação do Iron Butt você pagará mais tarde, somente quando for efetivamente certificado e custa, mais ou menos, 45 dólares cada modalidade.

Documentos

Depois de terminada a prova e retorno para sua casa, junte todos os documentos conforme relação abaixo e encaminhe para IBA para certificação. Desconheço o prazo limite para encaminhar os documentos, pois sei de motociclistas que levaram mais de seis meses para enviar. Eu geralmente envio no máximo um ou dois meses após terminada a prova, que é o tempo necessário para preparar toda a documentação. Depois que a IBA recebe todos os documentos, levam mais uns 8 meses para analisar tudo e encaminhar o certificado. Lembrando que eles recebem documentos do mundo todo e de várias modalidades para analisar. Cada um deles é visto com cautela e, se desconfiarem de algo, pode atrasar o processo ainda mais. Por isso é bom revisar toda a documentação antes de encaminhar. Quanto aos cupons fiscais, verifique se todos estão com as datas e horas corretas, ou feitas as correções no verso e devidamente carimbadas, assinadas e tenham todas as informações do posto, como cidade, endereço e telefone. Compare com as informações lançadas na planilha do log, pois os horários de abastecimentos devem estar entre a hora de chegada e saída anotada na planilha. Não encaminhe os originas dos cupons fiscais, apenas uma cópia legível. Guarde os comprovantes originais para eventualmente uma necessidade de reenvio. Todos os documentos devem estar no idioma inglês, com exceção apenas dos cupons fiscais.

Envio da documentação

Carta - É uma carta para a IBA informando os detalhes da modalidade feita. Coloque as informações dos documentos que você está encaminhando, o percurso efetuado descrevendo as principais cidades por onde passou e as cidades que parou para abastecer. Relacione os participantes que completaram a prova e assinatura de todos os membros.

Termo de Inscrição - Deve ser feito um termo de inscrição para cada participante da prova contendo todas as informações pessoais, inclusive os telefones e e-mail para o caso de algum contato da IBA.

Termo de Largada - Cada participante deve fazer um termo de largada contendo as informações pessoais, local da largada, data e hora. Estas informações de local, data e hora você deve pegar do primeiro cupom fiscal de abastecimento, ou seja, o posto de largada. Este formulário deve ser assinado por uma testemunha (aquela que presenciou a largada) e ter todas as informações de contato desta pessoa.

Termo de Chegada - Parecido com o Termo de Largada, mas neste formulário tem as informações do local, data e hora da chegada. Também deve conter as informações do cupom fiscal do último abastecimento, dados de contato de outra pessoa como testemunha de chegada e assinado por ela. Preferencialmente esta testemunha deve ter o endereço próximo ao local da chegada, ou seja, se você terminou sua prova na X, esta pessoa deve residir próximo a esta cidade.

Log - Este é um dos principais documentos, pois contém todas as informações do trajeto, pontos de paradas com horários de chegada e saída, motivo da parada, tempo de parada, tempo de um ponto a outro, distância, etc. Esta planilha é uma cópia digitada daquela planilha em branco, mencionada acima, que você deve preencher durante a prova. Também deve ser enviada uma planilha para cada integrante da prova, pois, além dos horários poderem ser diferentes, cada um tem suas informações dos odômetros da sua moto, quantidade de combustível e quilômetros rodados.

Autorização de Débito - Cada integrante deve enviar uma cartinha autorizando a IBA descontar do seu cartão de crédito as taxas para certificação. Cada certificação custa aproximadamente U$ 45,00 (quarenta e cinco dólares). Caso não queira postar dados do seu cartão de crédito, a IBA também aceita pagamentos via Pay Pal, neste caso, passe as informações da sua conta para débito das despesas.

Mapas - Encaminhe junto com os documentos uma ou mais cópia de mapas sinalizando o roteiro feito e as principais cidades por onde passou. Em geral eu imprimo uma cópia do mapa contendo a plotagem dos tracklogs do GPS e waypoints das principais cidades e postos de abastecimento. Você pode enviar mapas rodoviários comprados em bancas de revista, sinalizando o roteiro e as principais cidades com uma caneta marca-texto.

Tracklogs do GPS - Como eu costumo fazer as provas com GPS, sempre gravo num CD todos os tracklogs do percurso e os waypoints dos postos e principais cidades. Esta não é uma exigência da IBA mas como os tracks contém todas as informações da prova, com local, data, hora, velocidade, etc, de todos os pontos, facilita a análise caso eles tenham alguma dúvida. Inclusive para o preenchimento da planilha de log, eu utilizo as informações coletadas no GPS, onde tem a informação exata da data e hora que entrei e saí do posto para abastecimento.

Para onde enviar

Junte todos estes documentos dos integrantes e envie por SEDEX internacional para a IBA no endereço abaixo:

TO (para)
IRON BUTT ASSOCIATION
P.O. Box 9450,
Naperville, IL 60567-9450
USA


DICAS

Para a certificação SS1000 (1.000 milhas ou 1.609 kms em 24 horas) que é a menor prova a ser feita, se não tiver imprevistos que possam atrasar o percurso, em geral é completada com aproximadamente 21 horas, respeitando os limites de velocidade. Na minha primeira certificação de 1000 milhas, tive o inconveniente de um pneu furado que atrasou bastante a viagem, chegando ao ponto de quase desistir, mas consegui vencer o percurso em exatas 24 horas. Então a recomendação é procurar não perder tempo, principalmente nos abastecimentos, que parecem não ser demorados, mas quando você vai fazer os cálculos, entre sair da rodovia, chegar até a bomba, abastecer, preencher a planilha, pagar e voltar até a rodovia na velocidade normal de cruzeiro, você acaba perdendo, no mínimo, uns 20 minutos, isso se todo o processo for bem rápido. É mais ou menos igual a um Pit Stop na Fórmula 1, onde o tempo da troca de pneu beira 6 segundos, mas o tempo total de parada nos boxes ultrapassa 30 segundos. Um pouco que você descanse, vá ao banheiro ou faça algum lanche, esse tempo já sobe para perto de 40 minutos. Considerando cada parada entre 150 a 200 kms rodados, você terá próximo a 10 paradas no total. Se cada parada você perder 30 minutos, terá um tempo total parado entre 4 a 5 horas, restando 19 ou 20 horas para você fazer os 1.700 kms. Caso você esteja programando uma certificação maior, como por exemplo a modalidade de SS2000k (2.000 kms em 24 horas), estas paradas devem ser ainda menores, qualquer imprevisto pode impactar no cumprimento do prazo. Na minha certificação do SS3000 (3.000 milhas ou 4.830 kms em 3 dias), parei para dormir somente após 2.844 kms percorridos. O tempo total parado para descanso foi de quase 7 horas, mas de sono mesmo não chegou a 5 horas. Então quanto menos tempo você perder nos abastecimentos, mais tempo terá para descansar. Procure não perder tempo no início da prova, pois qualquer tempo perdido, pode te faltar lá na frente se você tiver algum imprevisto, como uma estrada em reforma e bloqueada por algum tempo. Lembre-se muito disso quando tiver parado: NÃO PERCA TEMPO.

Siga o projeto

Conforme mencionado no início, o projeto é boa parte do sucesso, então procure programar tudo antes do início da prova. Busque todas as informações necessárias. Se precisar, telefone antes para os postos da Polícia Rodoviária e peça informações das estradas e postos de combustível, principalmente nos trechos que você irá passar a noite. Entre no site do DNIT para pegar informações atualizadas das rodovias federais. Depois do projeto fechado, siga o que está programado. Não queira ficar discutindo ou analisando o roteiro no meio da prova, a não ser que tenha surpresa com alguma rodovia interditada no meio do caminho. Se você não conseguiu informações suficientes sobre um determinado trecho, programe uma rota alternativa para desvio. Tenha em mente o roteiro principal, mas se você conseguir alguma informação mais atualizada sobre aquele trecho e realmente ele não for a melhor opção, você já tem o desvio programado. Tente pegar informações com os caminhoneiros que você encontrar nos postos mais próximos ao provável local de desvio e estiverem vindo em sentido contrário.

Procedimento nas paradas para abastecimento

Eu costumo abastecer logo na chegada do posto. Se estiver fazendo a prova com mais de um participante, procure estacionar as motos em bombas separadas, assim, se tiver mais de um frentista disponível, várias motos podem ser abastecida ao mesmo tempo. Caso não tenha bombas suficiente para todos os integrantes do bonde, lembre-se da regra para abastecimento em bonde, ou seja, parem as motos de forma diagonal na bomba, em ângulo de 45 graus. Desta maneira, pelo menos três motos podem ser abastecida em cada bomba sem a necessidade de locomovê-las, agilizando todo o procedimento. Se possível, e as motos tiverem mais ou menos o mesmo consumo, organize para um participante pagar os abastecimentos cada vez e pegar todos os cupons fiscais, isso reduz o tempo de cada um passar o seu cartão. Também é aconselhável levar uma parte em dinheiro, pois nem todos os postos aceitam cartão ou estão com a "maquininha" funcionando. Os comprovantes de débito/crédito NÃO VALEM como comprovante de abastecimento, somente o cupom fiscal.

Assim que parar sua moto na bomba, prepare para o abastecimento, abrindo a tampa do tanque e deixando pronta para o frentista. Pegue a planilha em branco e preencha com todas as informações necessárias em cada linha. Coloque o dia e horário de chegada, wayponit (se estiver com GPS marque um ponto para identificar o local), cidade-estado e odômetro da moto e do GPS. Se a parada foi para abastecimento, coloque a quantidade de litros de combustível, as informações do nome do posto e o motivo da parada (abastecimento, lanche, banho, etc.) e o horário da saída. Caso tenha parado em qualquer outro lugar, preencha também a planilha com as informações do local e o motivo da parada, neste caso só o campo da quantidade de combustível ficará em branco. Não esqueça de pegar o cupom fiscal, que deve ter um para cada abastecimento de cada integrante do bonde e conferir as informações de data e hora. Se estiver errada, coloque as informações corretas no verso e peça para o caixa assinar e carimbar.

Sono

É lógico que você poderá sentir sono no meio do caminho, então descubra antecipadamente os horários que te dá mais sono e veja como fazer para despertar. Ande com segurança. Se precisar fazer paradas extras para "espantar" o sono, tomar um banho, molhar o rosto, beber um energético, faça, pois o risco de pilotar com sono é enorme. PILOTE SEMPRE COM SEGURANÇA E DENTRO DOS SEUS LIMITES

Prepare-se para abortar a prova

Esteja sempre preparado para abortar a prova a qualquer momento. Não vá além das suas possibilidades. É muito mais sábio abortar a prova e deixar para uma próxima oportunidade, tirando as experiências que você teve na prova anterior, do que forçar algo e se arrepender depois. Saia com o pensamento de que você NÃO VAI FAZER, que você está fazendo apenas um teste para depois realizar numa próxima oportunidade. Assim você não terá qualquer ressentimento de parar a qualquer momento da prova.

Mantenha uma boa velocidade

Tente manter uma velocidade boa e constante. Se você pilotar dentro dos limites de velocidade das rodovias no Brasil, que giram entre 80 e 120 kms / hora, você conseguirá uma média de 80 a 90 kms / hora, que é suficiente para cumprir as provas dentro do prazo requerido.

Evite os centros das cidades

Na programação do projeto já procure os desvios das grandes cidades e grandes centros. Não tem qualquer motivo para você passar dentro das cidades. Isso só fará você perder tempo com semáforos e trânsito intenso de veículos. Sem contar os motoristas das cidades que cruzam diariamente as rodovias e fazem muita barberagem. Então procure desvios que passem por fora das cidades para ganhar tempo. Nem que este desvio faça você rodar mais de 100 kms, afinal, se estiver no teu projeto, esta distância contará no teu percurso total. Inclusive para o posto da largada, escolha um na saída da cidade, preferencialmente na BR, onde você não pegue mais trânsito e já possa iniciar a prova sem paradas.

Pedágios

Pode até parecer desprezível, mas a soma de todos os tempos gastos para pagamento dos pedágios é muito relevante. Então prefira estradas que não sejam pedagiadas ou que motos não paguem pedágio. Mas, se tiver que pagar, e estiver fazendo a prova em um grupo com vários motociclistas, acertem os valores antecipadamente ou posteriormente para somente um parar na cabine e pagar a tarifa para todos, isso reduzirá bastante o tempo de parada. Se estiver chovendo, você perderá mais tempo ainda, pois terá que tirar a luva, abrir o bolso onde está o dinheiro, pagar o pedágio e colocar tudo novamente, sem contar que você deverá estar com capa de chuva e terá mais dificuldade para "achar" o dinheiro (seco) para o pagamento. Tente facilitar ao máximo o acesso ao dinheiro para os pagamentos.

Equipamentos e Vestuários

Jamais queira testar aquele seu capacete novo, bota nova, etc durante a prova de Iron Butt. Prefira sempre aquele vestuário antigo, que você já conhece e que seja confortável. Um capacete novo pode não ser muito bom ou você não se adaptar bem e acabar se incomodando na viagem. Já imaginou uma bota nova que você só descubra que ela aperta e faz calo depois de uns 1.000 kms rodados? Esta regra vale também para acessórios novos que você quiser colocar na moto. Deixe para instalar depois da prova ou instale e teste bem antes de iniciar o Iron Butt.

Clima

Nem preciso dizer que a chuva pode atrapalhar toda sua performance e baixar muito o rendimento, então escolha uma época do ano e região que chova menos. Geralmente os meses de julho a setembro na região central do Brasil tem poucas chuvas. Epoca inclusive de umidade baixa do ar. Se você conseguir conciliar com noites de lua-cheia, melhor ainda.

Peças de reposição

Aqui vale a velha Lei de Murphy. Se for para dar problema em alguma coisa, vai ser bem aquilo que você não está levando para reposição, então não adianta querer levar muita coisa, pois só vai carregar peso. A não ser que você, já conhecendo sua modo, saiba que ela está com um problema não resolvido e de fácil solução durante a prova, como por exemplo uma lâmpada que esteja queimando frequentemente, neste caso vale levar algumas de reposição. Eu costumo fazer uma boa revisão antes da prova e levar somente algumas chaves para o caso de algum acessório se soltar ou para pequenas emergências. Se você tiver um problema com a moto, tente resolver chamando o socorro do seguro (se tiver) ou de alguma outra forma, mas se for um problema sério, desista da prova e deixe para uma próxima oportunidade. Lembre-se: Esteja preparado para abortar !!!

Alimentação

Procure levar alguns alimentos leves, como barras de cereais e frutas para ir se alimentando nos pontos de parada durante os abastecimentos. Se você ficar na dependência dos alimentos que encontrará na estrada, como não tem tempo de ficar procurando e parando em vários lugares, pode ser obrigado a comer aqueles lanches oleosos e podem te fazer mal ou dar uma diarréia. Mesmo assim, aconselho fazer pelo menos uma refeição "quase" normal no dia. Digo "quase" porque não aconselho alimentos pesados que possam te dar sono no percurso, mas um prato-feito com legumes e carnes leves, preferencialmente cozidas.

Garupa

Não é aconselhável fazer qualquer uma das provas com garupa, pois vai ser bem mais cansativo para o piloto e principalmente para a garupa, que quase não se mexe durante toda a viagem e as paradas são muito curtas. Mesmo assim, se for opção compartilhar a prova com a garupa, esta também receberá um certificado de Garupa Iron Butt.

Alongamentos

Como qualquer outra viagem de moto, mesmo que não seja uma prova de Iron Butt, lembre-se de fazer os devidos alongamentos nas paradas. Apesar do tempo de parada ser curto, os alongamentos te ajudarão a relaxar e reduzir possíveis dores no corpo.

Mais informações

Se você tiver mais alguma dúvida, fique a vontade para me mandar um e-mail com as suas perguntas. Também gostaria de saber se, de alguma forma, estas dicas te ajudaram para realizar a sua prova. Me mande o relato ou o link de algum lugar na internet que você tenha descrito a sua façanha.

BOA SORTE !!!